Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

14.10.12

A minha avó Carmen

Lila
Fazia anos hoje. Lembro-me muito bem dela, das suas manias de espanhola, da sua falta de afectividade, mas ainda assim, apesar de não ter sido o prototipo de avó carinhosa, viveu connosco até morrer e eu gostava muito dela. Foi a minha companhia durante os meus anos de escola, a fazer os trabalhos de casa, sentada muito direita, só a supervisionar quem nunca precisou de ser supervisionada no que aos estudos diz respeito. Completaria 95 anos, se fosse viva.      
16.03.12

Eu devia saber, mas não me lembrava

Lila
No outro dia, no cemitério, reparei que o meu avó José, pai da minha mãe nasceu a 8 de Março. O que é muito curioso. Toda a vida ouvi a minha mãe dizer que ele era um galã, um mulherengo, um homem muito alto e charmoso, que dava nas vistas e que dava conta da cabeça da minha avó por isso,  um amante da mulher e da feminilidade. E nasceu no dia da Mulher. Curioso. Mesmo muito curioso.
08.09.11

Ser pai e ser avô

Lila
O meu pai e a minha sogra passam o tempo a dizer que nós não sabemos o filho que temos. Que a criança é muito dócil, que não dá trabalho nenhum, que tudo corre ás mil maravilhas quando estão com ele. E isto porque eu me queixo que é muito difícil para fazer as coisas, que tudo é muito lento, que acabamos por nos aborrecer na rotina porque eu tenho que dizer as coisas mil e quinhentas vezes até que sejam feitas. De há uns dias para cá tenho pensado nesta diferença de (...)
03.09.11

Peixinho com os avós

Lila
Hoje fizemos o nosso almocinho de peixe assado habitual em dias que não vamos á praia, não a 3 como é costume, mas á falta de um, adicionámos 2. Convidámos o avô e a avó e fomos a pé, até ao Sr. Horácio, comer a boa da sardinhada. O meu filho adorou ter os dois avós com ele e só por causa disso comeu duas postas de salmão! Que bom poder fazer isto, que bom poder proporcionar esta experiencia familiar ao meu filho. (e enquanto fomos e viemos lá passou mais um bocadinho (...)
26.07.11

Dia dos avós

Lila
Eu tive apenas uma avó presente, mãe da minha mãe, que vivia connosco. O meu avô paterno morreu com 50 e poucos anos, vitima de uma embolia pulmonar, tinha eu 18 meses. Digo que me lembro de lhe tirar as coisas do bolso da camisa e de ele se rir por causa disso, mas sei que é humanamente impossível e que as minhas memórias se devem á descrição que a minha mãe fazia desses momentos, para manter viva a memória do pai dela em mim. Era (segundo as más línguas) um homem (...)