Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

29.09.14

Note to self


Lila

Há uns meses, li numa entrevista a um empresário qualquer, um designer famoso, que o senhor adorava andar de avião porque durante esse tempo, não recebia chamadas, nem emails, nem mensagens, nem porra nenhuma.

Tomava uns whisky e relaxava verdadeiramente durante o tempo do voo.

Na altura não liguei, mas hoje, quando me sentei no avião para Málaga e desliguei o telemóvel, depois de ter atendido mil chamadas, ter respondido a mil emails, ter revisto a apresentação e deixado a minha casa preparada para a minha ausência, voltei a pensar nisso.

Fechei os olhos e pensei que durante a próxima hora e meia, o mundo pode acabar e eu não vou dar por isso.

O JA pode fazer uma valente birra, pode responder torto (raiospatam a pré adolescência do bicho!) que eu não vou saber.

Os meus colegas podem desmarcar as reuniões todas e voltar a marcar para horas ridículas, que eu vou ignorar.

Não tomei o whisky porque sou moça pouco dada ao álcool, mas não me fez falta.

Note to self: Tenho que me lembrar mais vezes disto.

 

P.S e quando aterrei, tinha um email a dizer que amanhã a hora de saída do hotel é as 7.

Eu não digo?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.