Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

24.11.19

Catarina


Lila

A filha da minha amiga Carla, a que faleceu em Julho, fez 15 anos hoje. E eu estive a pensar durante a minha caminhada matinal, que há um ano, no aniversario da filha, a Carla ainda não sabia que estava doente e nunca imaginaria que um ano depois, já não festejaria o aniversario da filha. Como é duro pensar nisso. Como teria sido se soubesse que quatro meses antes do aniversario da pessoa mais importante da sua vida, já não estaria entre nos? O que faria cada um de nós, se soubesse?

A Carla adoeceu em Dezembro, já passou um Natal complicado, já não foi ao nosso jantar da empresa.Faltou as reuniões de kick off e a partir de Fevereiro começou o descalabro que terminou fatalmente em Julho. Marcou ferias, fez muitos planos. Imagino como teria ficado triste por saber dos despedimentos na empresa, que aconteceram na semana passada. E agora, só nos resta a saudade dela.

 

Catarina, não imagino pior forma de celebrar os teus 15 anos, Chegar a uma idade tão bonita sem a tua melhor amiga. Mas melhores dias virão, minha querida. Um dia, já vais falar dela sem lágrimas, recordar só o que viveram de bom e esquecer a magoa. Vais sentir mais a sua falta nestes dias importantes, ou depois, quando fores mãe. Sem a esquecer por um segundo, começas a viver a tua vida, mais forte, mais madura. Com outro sentido.

Digo-te porque sei.

Sei mesmo muito, muito bem.