Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

07.01.19

A Rita Pereira


Lila

Sobre o facto da Rita Pereira ter aberto ontem o programa "Dança com as Estrelas" a dançar como se o mundo fosse acabar amanhã, tendo 10 dias de parida, só tenho a dizer que me fez muita impressão. Cada movimento de pernas me fazia arrepiar toda. Eu não posso falar muito porque fiz uma reparação fantástica e uma das minhas historias de parto são ter ouvido de uma enfermeira que saísse do quarto onde estava com o meu bébè, porque a hora das visitas tinha acabado. Sendo eu a mãe acabada de parir da criança. Por aí podem imaginar como já estava óptima, ainda não tinha saído sequer do hospital. Fiz uma aposta com o meu marido sobre o vestir dos meus jeans normais e uma semana depois já estava dentro deles. Mas custou-me muito ter sido cosida e passei uma semana sem poder sentar o rabo em lado nenhum. E ter um parto normal, fazer nascer uma criança, grande como a minha (tinha 4kg) ou mesmo pequena, é um processo físico muito duro. Os órgãos saem todos do sitio, há todo um alargamento da nossa bacia que tem que voltar ao lugar. E há o perigo de haver incontinência se as coisas não forem bem feitas. Eu fiz ginásio até o JA nascer mas só tive ordem do medico para lá voltar um mês depois do parto. Por segurança. Pela  minha saúde.

E depois para alem disto, há o facto de a mulher ter conseguido ter direito a uma licença de maternidade para poder estar a 100% dedicada ao bébé. Este direito adquirido na lei do trabalho, esta forma de deixar a nossa actividade laboral por uns meses, é algo que nunca devemos menosprezar. E estas pessoas que logo após o parto vão ensaiar coreografias e apresentar programas de TV, estão a desrespeitar esse direito. E a pô-lo em causa para todas as outras mulheres.

Obviamente que a Rita não tem um trabalho "normal" mas tem uma responsabilidade acrescida, como exemplo para muitas outras mulheres, sendo uma figura publica. Ah, ela pode fazer com o corpo dela e com o bébé dela o que bem lhe apetecer.  É verdade. Mas eu também tenho direito à minha opinião. E acho que foi demais. Parecia que tinha que provar a alqguem de que era 

Só nos falta que venha dizer que já anda a ter noites de amor à maluca desde o dia a seguir a ter parido. Aí, vou só ali cortar os pulsos e volto já.