Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

27.11.11

Tenho tanta pena!


Lila

Que de tantas coisas boas que podia ter herdado de mim (presunção e água benta...) o meu filho tenha precisamente ficado com uma particularidade péssima do meu feitio, a teimosia e o orgulho.

Hoje pediu-me para ir ao cinema, ver o novo filme de Natal.

Combinámos ir á sessão das 17h20 e planeámos a tarde em função disso.

Quando já estávamos a vir para casa para ir ao cinema, pelo caminho, pedi-lhe para vestir o casaco e ele respondeu que não vestia.

Disse-lhe que sem casaco não havia cinema e ele respondeu, obviamente da boca para fora, que não fazia mal, que não íamos, que não queria ver o filme.

E assim, foi, viemos para casa.

Aqui chegados anda por ai aos caídos, a roer-se todo pela má decisão, incapaz de voltar atrás com o que disse, mas com o coração desfeito por estar a perder o filme.

E eu revejo-me tanto nestas coisas.

Quantas vezes digo o que não devo, e "perco filmes" só para não voltar atrás.

Só para afirmar a minha razão, quando muitas vezes ter razão não interessa nada.

E fico com tanta pena que ele seja assim... vai sofrer muito pela vida fora se não se modificar.

 

 

---

 

Ainda há esperança...acabou de vir pedir desculpa, dizer que não queria dizer o que disse e que se fosse possível, ainda queria ir ao filme....

E agora lá vai a mãe totó, coração de manteiga  ver a que horas é a próxima sessão...

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.