Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

30.03.11

anúncios


Lila

Há anúncios que nos ficam no ouvido e nos fazem rir.

Eu agora acho um piadão ao do Jumbo, que fala de uma dieta líquida falhada e de um amigo que diz, só para ver a amiga feliz:

“Ainda bem que vieste comer! Estás magrinha, magrinha, qualquer dia desapareces…”

E gosto porque está bem pensado, porque o tom que ele faz no “magrinha” é amoroso e porque a expressão do “qualquer dia desapareces” é muito utilizada pelo meu maridinho. ( que totó, meu Deus…)

Tudo a favor, portanto.

Ao mesmo tempo que há outros que me fazem uns nervos…ainda por cima porque eu oiço imensa rádio, levo com anúncios a toda a hora, enquanto estou a conduzir.

(estou contigo, Martinha, o da Depuralina e dos resíduos é desgastante, já para ao dizer… estúpido!)

Outro a que eu acho graça é um de um banco (não deve estar bem pensado porque eu não me lembro do nome) em que um amigo liga para uma amiga a dizer que há 3 semanas atrás no bar tal ela cantou “Lady” e afinal era “baby”.

Esse, faz-me lembrar o Guilherme.

Gui, esse anúncio podia ter sido feito a pensar em ti.

Tu és o único casmurro que eu conheço capaz de fazer uma dessas.

Só para ficares a rir o resto do dia.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.