Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

13.03.11

dia de domingo


Lila

Eram sete e pouco da manhã e o meu filho entrou pela porta do nosso quarto a dentro aos gritos:

Mamã, tenho a a cama molhada!

Pensei logo, caraças pá, atão o gaiato nunca fez xixi na cama e agora deu-lhe para isso?

Tou feita, raios mapartam que é domingo e tenho sono.

Vou para o quarto dele e vejo uma autentica cascata a sair do candeeiro dele.

A cama ensopada, colchão todo molhado.

Lindo.

Toca de tirar tudo da cama, por tudo a lavar na máquina e o miúdo na nossa cama.

Escusado será dizer que já não dormimos nada.

A cascata ainda durou mais uns tempos a pingar para um balde, o meu filho a dizer que cada vez que entrava no quarto ficava enjoado...(WTF?).

Bem, almoçámos na minha Tana, matámos saudades e andámos a correr atrás dos miudos que quando se juntam ficam doidos varridos.

Ao voltar, modifiquei o quarto todo, posição dos móveis e da cama, fiz tudo de lavado, e agora, que me parece que deve ir chover outra vez, vou ter que por um balde debaixo do raio do candeeiro.

O senhor do condominio diz que deve ser uma telha partida e que amanhã tratam do assunto.

Pois eu acho bem, que não me apetece nada viver assim a modos que numa barraca, a ouvir pingar dentro de baldes.