Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

08.03.11

Coincidências


Lila

Ontem fui arrastada ver o concerto dos Gogol Bordelo.

Confesso que é musica que a mim não me diz absolutamente nada, ou melhor dá-me uma dor de cabeça brutal, e um enjoo depois de ouvir aquela batida mais de 30 minutos.

Mas até foi engraçado observar as pessoas, a querer dançar aquilo, sem conseguir, depois pulavam, depois queriam cantar mas não se percebia uma palavra do que eles diziam...

Eu só pensava, ai meu Deus, que ninguém me veja no meio destes malucos, que eu sou mulher séria, nada dada a estas maluqueiras.

Quando chegámos escolhemos o lugar na bancada e ainda mudámos, porque nos pareceu que ficávamos melhor noutro sítio.

E não é que fui sentar-me precisamente ao lado de uma cliente minha?

A senhora a olhar para mim e eu para ela, de boca aberta!!!!

E depois, pergunto-lhe a olhar para o jovem que tinha ao lado:

" É o seu filho?"

Ela fica a olhar para mim e hesita na resposta.

E eu, naqueles 30 segundos de espera, pensei "Ai meu Deus, faz com que não seja namorado, faz com que não seja marido, Deus, tem pena de mim, não me faças isto..."

E finalmente, ela responde:

"Bem, é meu enteado."

Juro que ia desmaiando de alívio.

Achei que de repente, me ia dar uma coisinha ruim.

Depois, lá estivemos nós, umas boas 3 horas e tal a ver o meu marido e o enteado dela aos pulos, todos felizes e nós a escrever no telemóvel, a tirar fotos, a escrever no facebook e a endireitar as costas, que tanto tempo sentada naquelas cadeiras, é dose.

Hoje ainda estou um bocado surda.

E mal posso esperar por contar a uma das minhas colegas que vi aquela senhora, naquele concerto.

Vai ser uma barrigada de riso.

 

1 comentário

Comentar post