Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

21.01.11

Termino uma semana a pensar já na outra


Lila

Esta semana foi terrivel em termos de trabalho.

Acho que não produzia tanto há muito tempo e é normal haver muito trabalho todos os dias.

Mas esta semana surgiam coisas chatas todos os dias, coisas difíceis de fazer, telefonemas chatos, terminar apresentações, prepará-las, revê-las, enfim. Monyanhas de problemas, montanhas de documentos para preparar, coisas com prazos de entrega apertados.

Tudo isso resultou numa brutal dor de cabeça que eu trouxe do trabalho na quarta, deitei-me e acordei com ela na quinta.

E só á base de Clonix é que a coisa se desvaneceu.

Este fim de semana o meu homem viaja para trabalhar e depois vou eu na segunda para fora, para regressar só na quarta. Andamos desencontrados todos estes dias.

Na terça faço a minha apresentação em espanhol para as 50 pessoas da reunião.

Nervos. Muitos nervos.

Hoje irritei-me profundamente com uma daquelas coisas que só me acontecem a mim, ingénua e crédula na boa fé das pessoas.

E isso também me cansou, e me desiludiu.

Adivinha-se um fim de semana difícil, porque eu amo de paixão o meu filho, mas vou passar dois dias inteirinhos dedicada a ele.

E só quem é mãe ou pai sabe, o que estes diabinhos podem cansar a mente de uma pessoa.

Principalmente quando não se pode dizer ao conjugue que o ature um bocadinho, enquanto tu dás uma voltinha ao bilhar grande.