Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

13.10.10

Que dia de merda, pá!


Lila

Eu já estava a adivinhar, mas como sempre, eu adivinho mau, mas sai ainda pior.

Ontem fiquei constipada e passei a noite toda sem respirar nada de jeito, e parecendo que não, faz-me falta respirar para dormir e tal.

É que o ranho era tanto, que o meu nariz parecia que tinha pedras.

E eu lá me levantava para tentar desobstrui-lo, sem sucesso e assim foram passando as horas.

Ás 6 da matina o meu mais que tudo foi apanhar o avião para Bilbau.

E fez tanto, mas tanto barulho, que só me apeteceu atirá-lo do oitavo andar lá para baixo.

Lá me levantei e começou a rotina das manhãs, que hoje não incluiu ginástica porque eu não estava em condições.

Felizmente o JA colaborou e eu não sai de casa quase a chorar como de resto já é costume (não estão a ver, despachar "os meus dois filhos" é um drama do cacete todos os dias...).

Lá fui para Coimbra, com um olho a conduzir e outro a dormir.

Á tarde, voei até Setúbal para a reunião de pais da escola do JA.

A dita era ás 18h e o meu espanhol ás 19h em Lisboa...

Sai da reunião ás 19h05 e ainda fui para o Cervantes, onde cheguei ás 19h45, já atrasada.

Cheguei a casa ás 22h30 e ainda estive a ver emails do trabalho.

Os meus olhos pesam duas toneladas cada um.

E por isso, amanhã conto sobre a reunião de pais.

 

Nota: No meio desta confusão toda, uma nota de agradecimento á minha sogra, que me foi buscar o Ja á escola, levou-o á musica, deu-lhe banho e ainda fez uma canjinha para o jantar.

Se não fosse ela, meu Deus, eu nem sei o que seria de mim.

Até 22 de Dezembro, será este calvário e não é só para mim.

É para ela tambem.