Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

01.10.10

Caso sério


Lila

A cada dia que passa me apercebo mais.

Há muitas pessoas á nossa volta que estão a precisar de ajuda.

A precisar de, pelo menos, serem ouvidas, compreendidas.

De receber uma palavra amiga, de um "I have been there".

Mas estamos demasiado ocupados com as nossas vidas para prestar atenção.

Para ouvir os sinais.

Para perceber na linguagem não verbal da pessoa.

 Eu não me admiro nada quando sei que alguém se suicidou, assim do nada.

 Não me admiro, porque não foi do nada.

Nunca é.

Simplesmente, ninguém estava lá para ouvir. Foi-se ignorado, porque é mais confortável não saber, não sentir, não dar importância.

Cai-se num poço sem fundo, sem que ninguém se aperceba.

E quando parece que já não há saída, não está ninguém por perto para ajudar a abrir uma porta.

Mesmo quando aparentemente, se está rodeado de muita gente.

1 comentário

Comentar post