Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

30.05.10

De noite de ontem


Lila

È fatal como o destino.

Ontem juntámo-nos para festejar os 40 anos da minha irmã e como sempre terminámos a caracolada maravilhosa que ela nos preparou, ás gargalhadas.

Isto porque começamos a recordar coisas da nossa infância e isso só nos dá para rir, enquanto os desgraçados dos nossos maridos nos observam, felizes por nos verem felizes, mas com ar de  "estou-me a rir mas não percebo nada da conversa".

E depois há dois sectores, o meu marido e o da Dora, que já se habituaram a isto e o noivo da mais nova, que ainda é noviço nestas andanças.

O A. costuma dizer  que o facto de nos rirmos muito no final das refeições se deve a uma batata com droga, que nunca lhe calha a ele...

E depois há os miudos.

Se há coisa que faz o meu filho feliz é estar com o primo.

Há uma ligação especial entre eles que eu espero que nunca se quebre.

Agora que o JA encheu os depósitos de primo, vai ficar contente por uns bons dias!!!!!