Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

14.05.10

A burocracia associada ao assalto continua...


Lila

Estive duas horas em pé, á porta da garagem, uma delas já com o meu filho, á espera que mudassem o código do comando da entrada.

Vim-me embora sem o assunto resolvido, e só vim porque um dos meus vizinhos se ofereceu para ficar lá, já que o meu filho já chorava com fome.

E o mais engraçado de tudo, foi ouvir os vizinhos que são do outro edifício a reclamar contra a pessoa que foi assaltada, essa porca...

É que esses não me conhecem e não sabiam que era eu a infame. A história do assalto já ia na quinta geração da invenção, até me dava vontade de rir.

E o raio do técnico não atinava com aquilo e tudo a protestar, não contra ele, mas mais contra mim, que não devia ter sido assaltada.

 

Para a próxima, para os poupar á maçada, ficam com as garagens em insegurança, que até se lixam.

Pode ser que o ladrão lhes faça uma emboscada e lhes arranque o figado para transplantes.

...

Vivendo e aprendendo.