Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

22.06.16

Hungria


Lila

O meu marido vai para lá amanhã. Acho que o jogo com a selecção ficou empatado para ele não ter lá problemas, à chegada... :)

22.06.16

Um susto


Lila

O JA anda há quase uma semana  a queixar-se da barriga, de um enfartamento, de náuseas que vão e regressam. No sábado fui comprar um desparasitante, já houve outros verões em que deixou de comer e era isso. Não resultou. De Domingo para segunda, passou (passámos) a noite levantados, ele a tentar ir a casa de banho e sem conseguir fazer nada. Na segunda à noite estava muito em baixo, com medo de ser uma intolerância alimentar, ou alguma doença auto-imune (defeito de ter mãe a trabalhar nessa área). Cortei-lhe o leite, tentei que não comesse nada que lhe pudesse fazer mal. Ontem, parecia bem, passou todo o dia bem disposto. Quando chegámos do jantar de aniversário do pai, estava outra vez muito enfartado. Deitou-se, e por volta das três e tal da manhã, começou outra vez a correria para a casa de banho, sem sucesso. Tinha náuseas, dores de barriga, torcia-se todo. Nem pensei duas vezes e às quatro da manhã estávamos no Hospital. Tinha que descartar alguma coisa mais grave. Parece que pode ser uma virose. Ou então só mesmo uma crise gigante de prisão de ventre (coisa estranha para uma criança muito, muito regular). Sei que regressámos a casa com clisteres, que funcionaram de imediato, com medicação para as náuseas e agora o rapaz já parece outro, aliviado da sua barriguinha. Eu, é que não ganhei para o susto. Estou muito mal habituada, esta criança nunca está doente e ontem foi a segunda vez que entrou na urgência. Agora preocupa-se que tenha que estar os próximos dias em Bilbau. Tenho medo que volte a ficar pior e ele esteja no avô...

21.06.16

Dia de festa


Lila

O meu marido faz anos. Tirei o dia de férias e estivemos na praia, a aproveitar o bom tempo. Depois, jantámos em Sesimbra com a família. Estava uma noite óptima, de verão, sem pinga de vento, mesmo como nós gostamos. 

20.06.16

Muito orgulho


Lila

Quadro de mérito. Notas excelentes. Um esforço conjunto dos pais e dele. O conseguir que a escola publica também seja uma boa escola, onde se formam bons alunos. Parabéns, JA. Conseguiste! Estamos muito orgulhosos de ti. Continua sempre este menino doce, meigo e esforçado. O nosso guerreiro. Estamos aqui, mesmo quando não estamos fisicamente, sempre ao teu lado, sempre prontos para te dar a mão, ou até mesmo um empurrão! :)

13428487_1110478555670385_2992351390001798707_n.jp

 

 

 

18.06.16

Dia feliz


Lila

Hoje, comecei o dia com um footing de uma hora e pouco, á beira rio,  depois de ter dormido até às 10h e ter acordado sem mais sono. Depois, fomos almoçar com o meu pai e as minhas manas. E assim passámos a tarde, a rir, a comer, a beber, a rir outra vez, a fazer parvoíces. Fomos de mota, assim que, para além do prazer que me dá conduzir aquela bichinha, também foi giro ver todos a experimentar conduzi-la. O meu sobrinho teve a sua primeira aula de condução de carro, dada pelo avô e nós  fizemos a festa a cada voltinha que ele dava. Momentos registados em vídeo para mais tarde recordar...E depois os mimos da minha sobrinha mais nova. A festa que ela faz quando me vê é impagável. Sai de lá com uma sensação de estar completa, com eles à minha volta. De vez em quando preciso daquela energia das minhas irmãs e do meu pai, para voltar aos eixos. No regresso, ainda houve tempo para uma passada rápida no supermercado, para comprar uns calções para mim (a minha paixão de verão, fora do trabalho, é só o que visto) e para fazer uma sopa com os ingredientes trazidos da horta do pai.

13445539_1114650995253141_5760985662696845176_n.jp

13413740_1114661495252091_6104201090856396877_n.jp

 

17.06.16

Un+une


Lila

Un_plus_une_poster.jpg

Adoro cinema francês, embora não goste em particular de franceses. Há qualquer coisa nas historias francesas, na forma como as interpretam que me encanta, que me toca lá no fundo. Este filme é passado na Índia, uma historia de amor dos tempos modernos, onde a espiritualidade é posta à prova, de uma forma tão arrepiante e ao mesmo tempo tão normal, que podia estar a passar-se comigo. Arrepiei-me muitas vezes, senti o que já sinto há muito tempo em relação à Índia. Tenho uma ligação profunda com aqueles rituais, com aquelas cores, com aquelas gentes, sem nunca lá ter ido (pelo menos nesta vida). Fui ver o filme sozinha e quando sai da sala, tive que fazer um compasso de espera antes de voltar à vida normal, que tinha sido interrompida durante pouco mais de duas horas. Foram demasiadas emoções para gerir no meu coração, apetecia-me ficar ali sozinha, na sala, a processar os meus sentimentos. Tenho que ver este filme outra vez.

 

 

 

 

17.06.16

Joelho report


Lila

Tenho uma condropatia de grau 3 no joelho esquerdo, para além de uma ruptura do menisco. Ambos feitos a correr. Isto há quase 3 anos. Nunca quis ser operada e vou vivendo com a dor que me aparece quando tenho a perna dobrada e de vez em quando em crises, em que duplica ou triplica. Hoje durante a noite, acordei sem poder dobrar a perna. Agora de manhã, vi o espectáculo, está o dobro do tamanho, parece uma bola. E eu, tento ignorar, tomo a bomba anti inflamatória que o ortopedista me receitou e sigo em frente.

16.06.16

Dias de mudança


Lila

Toda a nossa estrutura vai mudar. Amanhã, é o dia do anuncio oficial. Eu, que já sei tudo, prevejo muito choro e muitas desilusões. Vida de trabalho numa grande empresa tem destas coisas.