Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

27.06.14

Lingua portuguesa


Lila

Faz hoje 800 anos.

Falada em 9 países, por mais de 250 milhões de pessoas, quinta língua mais falada do mundo, 600 mil palavras no seu vocabulário.

Tenho muito orgulho da minha língua, da sua sonoridade, da sua riqueza, da sua história.

Tenho muito orgulho de poder escrever e ler nesta língua, inigualável.

 

 

 

 

26.06.14

A culpa é das estrelas


Lila

Cartaz do Filme

Sem palavras para o descrever, mas com muitas lágrimas.

Chorei, solucei até.

Um filme lindo, que relata uma nova perspectiva do cancro.

A perspectiva injusta de quem é jovem demais para morrer, de quem se agarra á vida com unhas e dentes e se preocupa em saber se aqueles que ama terão forças para continuar depois da sua partida,

Eu, filha e sobrinha de vitimas de cancro e cunhada de alguém que usou oxigénio anos a fio, como a protagonista do filme, sofri a cada cena.

Como mãe, fiquei com o coração em sangue por imaginar o sofrimento dos pais.

Como se diz no filme, pior do que ter cancro, é ser mãe de alguém com cancro.

Que reboliço de emoções, um desenrolar de sentimentos fortes, de dor no peito.

E ao mesmo tempo, sorri com a forma como os personagens principais se apaixonaram, tive saudades dos tempos em que nenhum de nós queria desligar o telefone em primeiro lugar, apaixonei-me outra vez, como eles.

É oficial, este filme vai marcar-me para sempre.

 

24.06.14

Yves Saint Laurent


Lila

Não tinha ideia da biografia deste génio da moda e todo o filme foi uma surpresa para mim.

Como a grande maioria dos génios e artistas, tinha muitos conflitos pessoais, incluindo mesmo uma patologia maníaco-depressiva.

O dinheiro em excesso, a droga e as más companhias fizeram o resto.

Mas o filme está muito bem feito e parte é filmado na casa que YSL tinha em Marraquexe e que eu já visitei.

Foi bom recordar.

24.06.14

Em familia


Lila

Foto: É hoje que a Leninha casa ... Ou será que não casa ?! #EmFamilia  Vestido lindo feito pela @lebronstein 󾌳󾠥󾆣 #Toansiosademaaais

Não tem sido fácil por a novela em dia (não percebo como é que estão a passar ESTA novela em horário tão pouco nobre).

Mas confesso que estou apaixonada.

E a principal razão é esta acrtiz maravilhosa, uma menina ainda, mas já com uma carreira de muitos anos.

Desta vez, em papel principal e fantástica.

Bruna Marquezine a arrasar.

 

23.06.14

Veneza pode esperar


Lila

Interrompi as minhas leituras espirituais para ler este presente da mana caçula, que já de si seria especial, mas que ainda por cima vem autografado pela autora...

E digo-vos que estou rendida.

As primeiras paginas deixaram-me emocionalmente de rastos.

Mas um de rastos bom, uma dor de alma que apetece sentir.

identifico-me tanto com a Rita Ferro, sem ter nada em comum com ela.

A descrição de se sentir amputada quando está sozinha (a belíssima introdução do diário), é a minha sensação, sempre que o meu marido faz a mala e entra no avião, para não voltar em quinze dias, ou mais.

Não é solidão, é sentir-me vazia.

Mesmo quando eu sei que a casa vai permanecer miraculosamente arrumada (para quem tem a paranóia das limpezas, este é um factor importante na vida), que não me vou aborrecer por ele não ter apanhado a roupa da corda, que a cozinha não vai ficar um caos depois de cada jantar. Mesmo sabendo que tenho a cama, a TV, a casa toda por minha conta.

O vazio que sinto equivale a ter perdido uma parte de mim, ainda que temporariamente.

Essa parte volta, quando ele volta.

E o vazio desaparece.

Mas até lá, resta lamber as feridas e esperar que o tempo passe (ainda) mais depressa do que o normal.

Vou continuar a ler a Rita, sabendo que para além das feridas, também lamberei lágrimas.

Esta mulher (fantástica, fascinante) tem este poder sobre mim.