Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

15.07.12

Mais uma.


Lila

Ontem, soube de mais uma separação de um casal amigo nosso.

Não foi uma surpresa, há bastante tempo que eu a via sozinha com a filha em todo o lado, mas como ela não falava do assunto, custava-me perguntar.

A situação é péssima, com direito a ameaças de morte, com o numero do telemóvel dela espalhado pela cidade com uma frase ordinária e a permanência dele na casa que é só dela e obviamente um divorcio que já está em tribunal e será tudo menos amigável.

Fiquei agoniada, a pensar que as pessoas podem esconder a sua verdadeira personalidade durante anos.

Ou seremos nós tão burras que não vemos o que é obvio?

Enfim, é muito triste.

 

15.07.12

Fim de semana de férias


Lila

Ontem estava um dia demasiado ventoso e como tínhamos que ir buscar o pai ao aeroporto, acabámos por não ir á praia.

Fizemos uma volta de bicicleta, comemos caracóis e fomos ao Carnaval de Verão, que de Verão só tinha o nome, dado o frio que fazia.

Tivemos direito a andar de carrossel e tudo!

Hoje tirámos a barriga de misérias e fizemos um  grande dia de praia.

Acabei de ver na TV que os próximos dias vão estar super quentes.

Boa!!!!

 

14.07.12

Por favor, cuida da mamã


Lila

 

Foi-me recomendado por uma colega espanhola, e eu acabei por compra-lo cá, numa das nossas visitas a livrarias.

Acabei-o esta semana e gostei muito.

Não é um livro fácil de ler, a cultura sul-coreana é de facto muito distante da nossa, mas uma mãe é sempre igual, seja qual for o lugar do mundo em que viva.

Faz-nos pensar no nosso papel enquanto mães, no valor da nossa mãe e em todos os sacrifícios que se fazem em prol dos filhos.

Este é um relato sofrido de quem perdeu a sua mãe.

E eu identifiquei-me muito com ele.

13.07.12

Bussiness Class


Lila

Não é hábito, mas ontem viajei em bussiness class, porque já não havia bilhetes de turística.

E experimentei a sala vip da Ibéria em Madrid.

Recebi tantos mimos, que quase me esqueci do mau que é viajar e estar em aeroportos, grande parte da vida.

Senti-me uma lady.

Acho que me podia acostumar aquela vida.

Mau vai ser voltar a viajar em turística e me ser vedado o acesso áquela sala...

 

13.07.12

JA, o quadradão


Lila

O meu cunhado teve um filho há um mês e andamos todos de volta do bebé.

Esta semana, o meu filho foi ver o primo com a avó.

No dia seguinte, liguei-lhe de Madrid e perguntei como estava o priminho.

E o meu filho começa a disparar uma data de assuntos, que andam a fazer-lhe confusão:

-Mamã, o primo estava na casa da Amália (os meus cunhados têm cada um a sua casa e até o bebé nascer não viviam juntos).

-Na casa da "tia Amalia", queres tu dizer?

- Tia não, Amália. Ela tem uma casa e estavam lá.

-Tia sim senhor, porque não é tia?

-Porque eles tiveram um bebé mas não casaram, saltaram esse passo, por isso, não lhe posso chamar tia!!!!

 

Fogo! Super antiquado este meu filho.

13.07.12

De volta


Lila

A semana foi do caneco mas felizmente já passou.

Ontem regressei de Madrid e hoje entro de férias.

Foi um stress deixar tudo em ordem, mas parece que, salvo uma ou outra excepção, posso baixar os braços e entregar-me ao dolce far niente.

Agora o difícil é desligar completamente, mas terei de arranjar forma.

Nas ultimas pausas que fiz cometi o erro de não desligar o telemóvel, nem os emails e a coisa não deu certo.

Se não me desligo, volto com a sensação de que nem cheguei a ir de férias.

 

10.07.12

O dia filho da mãe


Lila

 Eu já previa que o dia fosse complicado por todos os motivos e mais um.

E a coisa até foi correndo bem, desde as 8h30, hora em que tudo começou.

O pior é que descambou a partir de meio da tarde e eu dei por mim a sair do laboratório, directinha ao aeroporto, nove horas e meia depois de ter chegado e sem ter comido nada.

Minto, comi um iogurte magro ao meio dia, que tinha trazido do pequeno-almoço.

Assim, sem mais nem menos.

Uma dor de cabeça monstra e muita irritação depois, cheguei a Madrid.

Só tive tempo de descer do salto e vestir umas calças de ganga quando cheguei ao Hotel, e voltei a sair para comer uma saladinha com o chefe, grande adepto da comidinha light.

Pela conversa, os dois próximos dias também vão ser estupidamente difíceis.

Por isso, decidi que amanha não me vou levantar mais cedo para correr.

A reunião começa ás 9h e não me pareça que tenha energia.

Para além disso, voltei a parecer um cadáver, coisa da qual só me apercebo quando me vejo em fotografias e que acontece sempre que desço dos 58kg.

 

 

 

09.07.12

A Salmonela


Lila

O meu filho mandou-me uma salmonela para me fazer companhia na viagem.

Acho que percebeu que chorei ao deixa-lo em casa hoje, sabendo que só nos veremos no final da semana.

Hoje doeu muito, cá dentro.

Odiei com todas as minhas forças esta vida e o facto de ter que trabalhar.

Quis ser mãe dele a tempo inteiro e não ter que o fazer passar por isto.

Cheguei ai aeroporto desfeita.

Eu sei que daqui a pouco passa, mas há dias tão difíceis.

 

Nota de rodapé: a Salmonela que ele me mandou é de peluche.

Eu sei.

Coisas de bióloga.

 

 

09.07.12

Se isto não é ser alma gémea...


Lila

Então, não sei o que é.

Cheguei ao hotel em Bilbau e ele ligou a saber como tinha sido a viagem.

Olha, cheguei mesmo agora ao Hotel, é giro e fica mesmo junto ao rio.

Esse hotel é onde eu fico sempre, quando vou a Bilbau.

(Risos)

O que é engraçado é que eu escolhi o hotel sozinha, com um único critério: tinha pinta.

E vou acertar no favorito dele.

Ele há coisas!