Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

21.04.10

só a mim!


Lila

Ontem e hoje fui trabalhar para Coimbra. Ontem não tive tempo de ir ao ginásio, por isso, hoje antes de iniciar a viagem de regresso, fui treinar. Quando lá cheguei, perguntei se havia alguma aula e disseram-me que ia começar Body Combat.

Eu sou gaja que faz tudo o que é aulas. Aliás, lembro-me bem do início desta moda dos BTS e de experimentar cada modalidade com um entusiasmo doido, já que até então, só havia a ginasticazinha das cassetes da Jane Fonda.

O Body Combat foi das modalidades que eu sempre detestei. ( também não gosto de Body Balance, mas esse é porque me dá sono)

Não me dizia nada, até achava um bocado pateta estar ali a dar murros no ar.

Fiz uma ou duas aulas na altura e nunca mais lá meti os pés.

Mas hoje, ou ia para o ginásio sozinha, ou fazia Body Combat.

E pensei, se calhar, até apanhei uma professora fraquinha na altura em que experimentei, pode ser que mude de opinião.

E lá fui.

Quando cheguei á sala, a aula já tinha começado e ficou tudo a olhar para mim.

E com tudo eu quero dizer, as 5 pessoas que estavam na aula.

Ou seja, não havia uma multidão atrás da qual eu me pudesse esconder.

A professora perguntou logo se era a primeira vez e eu, considerando que não faço uma aula daquelas há 10 anos, disse que sim.

E foi então que olhei bem á minha volta.

Os meus colegas não estavam vestidos para fazer desporto.

Estavam camuflados.

Não havia um que não estivesse vestido com verde tropa e negro, calças e camisolas a condizer.

E todos com a boa da luvinha, a dar murros no ar e pontapés no universo, como se as luvas fizessem alguma falta (o ar em principio não deve magoar as mãos...digo eu...). Havia um que parecia que tinha sido insuflado e tinha luvas de boxe! MEDO!!!!!!

De repente olhei para o espelho e vi a minha figurinha.

Que passo a explicar:

Top curtinho cor de rosa, com a barriga á mostra (sorry, é assim que faço ginástica) corsários pretos agarradinhos á perna, a boa da meia rosinha e ténis brancos.

Modelito perfeito para dar pontapés e socos, sim senhora.

A professora foi extraordinária, tinha um sorriso lindo e esteve sempre a dar-me indicações. E eu portei-me muito bem e não desisti um segundo.

No final, a professora dizia-me, percebendo que os outros davam gritos que nem uns grunhos, a dar socos que nem uns patetas e eu, dava socos que nem uma pateta mas  estava caladinha:

- Também pode gritar!

E eu pensava, sim, sim, só se for, "Tirem-me daqui!!!!!"

 

Fónix, nunca mais lá ponho os presuntos!!!!Senti-me mesmo ridícula...