Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

22.12.08

Até nas cuecas me sinto diferente


Lila

Ontem acabei o livro que mais gostei em 2008- Comer, orar, amar.

Esta frase está no livro num contexto muito particular, mas acho que, embora pouco natalício, se pode aplicar a mim.

Passou mais um ano, estou prestes a fazer 34 , tenho um filho lindo, que cresce de dia para dia, e um marido que eu amo de paixão e que sei que me ama tambem. (Obrigada, comadre Cristina, a conversa contigo hoje, soube-me mesmo bem...)

Já para não falar das minhas manas, que são a minha família, e os meus sobrinhos lindos (mesmo lindos, uns modelos fotográficos...).

Com eles e alguns amigos muito especiais, tenho construido a minha vida, ás vezes com tijolos mais pesados, outras mais leves.

Sei que tenho carradas de defeitos e que por vezes os transporto ás costas, numa lista interminável de caracteristicas que vos aborrecem.

Mas, mesmo assim ainda nos vamos todos rindo um bom bocado.

E, agora que estamos em altura de balanços, eu sinto-me diferente.

Não sinto o peso dos 30 anos, acho que ganhamos tantas coisas boas fisicamente e não gosto menos de me vêr aos espelho agora, comparando com os  20 anos.

A maturidade até nos dá um certo charme.

A maternidade tambem.

Sinto-me diferente.

Arrisco a dizer que até nas cuecas me sinto diferente!

 

22.12.08

Para a Leonor


Lila

Acabei de saber que uma das minhas amigas da Faculdade, mais queridas, com quem já não falo nem vejo há muito tempo, está gravida e vai têr uma Leonor.

Gosto muito desta amiga, é uma pessoa fantástica, que merece mesmo tudo de bom.

Para os três, muitas felicidades!!!!

(que belo presente de Natal!!!!)

22.12.08

Almoço de Natal da empresa


Lila

Hoje fomos todos para o famoso almoço de Natal da empresa.

È sempre um evento para o qual a malta se prepara de alguma forma, quanto mais não seja, vestindo uma fatiota mais catita, pintando o olhinho e as beiçolas.

O local costuma ser bonito, todos os anos diferente e requintado.

Hoje não foi excepção. Almoçámos até as 17h num restaurante da Marina de Oeiras e eu tive direito a ser homenegeada por têr completado em Março 5 anos de casa.

Pode não significar nada, mas sempre é um reconhecimento e nesta altura do campeonato, até gostamos de ouvir alguma palavra de agradecimento pelo nosso trabalho.

O ano está  a acabar e por agora, o trabalho tambem.

Numa empresa em que trabalhamos por objectivos, guiados pelas vendas, estamos a queimar os ultimos cartuxos, ou seja, o que se vendeu, vendeu-se, o que não se vendeu, fica para o ano, que em Janeiro já é hora de fazer novos objectivos e voltar á carga.

Eu sinto-me com a minha missão cumprida, apenas aguardo por perceber se as ultimas facturações entraram para perceber qual a minha percentagem do número, mas penso que cheguei aos 100%.

E dado que lá cheguei, as férias são mesmo merecidas.

Amanhã acabo as ultimas coisinhas e ....até para a ano!!!!

21.12.08

Segundo filho


Lila

Porque é que todas as pessoas do mundo me perguntam quando é que é eu tenho o segundo filho?

Com excepção de uma ou outra amiga que já sabem e compreendem o meu ponto de vista, não há pessoa neste mundo que não pergunte para quando "uma mana" para o JA.

Existem n razões para que não me decida a engravidar, sendo que a principal é o facto de ter todo o trabalho da casa, do filho e o meu próprio, sem ajudas.

Não me apetece abdicar das pequenas conquistas que a idade do JA já me permite e não quero duplicar o trabalho e as responsabilidades que tenho hoje.

O meu marido não está disposto a mudar e eu estou esgotada.

Simples não?

Obviamente, e porque tive uma gravidez fantástica e um filho maravilhoso, ainda que bastante difícil no que diz respeito ao feitio, tenho saudades de ter um bébé, de estar grávida, de sentir as maravilhas da maternidade.

Mas toda essa saudade se desvanece, logo que penso em todos os trabalhos inerentes e em toda a ajuda que não vou ter, uma vez mais.

Livra!!!!

 

19.12.08

Dia 19


Lila

Casei a 19 de Fevereiro de 2000, dia em que celebrávamos 7 anos de namoro.

Obviamente, é um dia de dupla comemoração e durante todo o ano, o dia 19 é sempre celebrado, de forma mais ou menos efusiva, com ou sem presentinho, mas pelo menos assinalado.

Hoje, não tive oportunidade de grande comemoração, até porque a outra parte interessada está muito  ocupada com a festa de Natal da empresa, que não se limitou a almoço ou jantar como as outras empresas comuns mortais, mas preparou um dia e uma noite de festa de arromba.

Assim, e aproveitando que á sexta a empresa nos deixa sair ás 15h :), fui arranjar as minhas maozinhas e cortar a minha trunfa, numa preparação antecipada para o Natal.

Um bocadinho de dondoquice nunca fez mal a ninguem...

 

 

16.12.08

Filho


Lila

Tenho um filho absolutamente espectacular.

Hoje fui buscá-lo á escolinha, a pé, como aliás é costume se chego a horas decentes, porque a casa é perto e assim damos um pequeno passeio.

No curto caminho de regresso, estava um frio de rachar e vínhamos os dois cheios de casacos, cachecóis e (no caso dele) barretes pela cabeça abaixo.

Depois de lhe tentar dar a mão várias vezes sem sucesso (sempre foi muito independente), lembrei-me da estratégia que a minha sogra utiliza, dizer que precisa de ajuda porque tem medo de cair.

Assim, lá viemos de mãos dadas, muito apertadinhas.

De vez em quando dizia baixinho:-Adoro-te, és minha amiga.

Ao que eu repondo:- Também te adoro, és o meu melhor amigo.

Ao chegar a casa, o filhote olhou para mim e disse:

-Se alguém precisa de ajuda, eu ajudo, não é mamã?

Parece que sim, respondi depois de apanhar o resto do que me tinha derretido pelo caminho....

16.12.08

Manhã


Lila

Hoje está uma daquelas manhãs lindíssimas, com um sol radioso que, apesar do frio,

convida a um passeio e não a trabalhar.

Não que me apeteça muito ultimamente fazer qualquer outra coisa senão estar debaixo de uma manta bem quentinha e chorar desalmadamente.

Apesar disso vim trabalhar normalmente e até já fiz uma aula de rpm logo pela fresquinha.

O meu coração adormece de manhã e deixa-me meio anestesiada, para que possa trabalhar sem pensar muito na vida. Á noite, quando me deito, volta a despertar, e faz-me passar horas a pensar nos meus sentimentos, a criar verdadeiros filmes que me assombram o sono e me fazem acordar de rastos.

 

15.12.08

Segunda-feira


Lila

Que catano!

Este é mesmo o dia mais díficil da semana.

Comecei o dia com uma reunião mais chata que o Deus me livre, que durou a manhã toda.

Depois passei a tarde a correr de um cliente para o outro.

No final do dia, dar banho ao meu mais do que tudo, fazer jantar, arrumar roupas, preparar outras para a amanhã, dar jantar ao becas (ás vezes, uma tarefa super dificil...).

Tudo isto sempre com o raio do trabalho atracado a mim, mails, e mais mails e mais concursos e mais ficheiros...

 

Mas as férias nunca mais chegam?????

12.12.08

Fim de semana


Lila

Estava a vêr que nunca mais chegava!

As sextas feiras (quando ninguem se lembra de me marcar alguma coisa que ocupe o dia todo) são boas, porque saimos ás 15h.

Hoje visitei clientes até as 15h30 e depois rumei á margem Sul. Fui direitinha ao Supermercado para evitar a hora de ponta (alias, em vez de aproveitar o raio da tarde para fazer algo divertido, enfio-me nas compras para a casa, e assim já não vou no  fim de semana...) e depois de arrumar as ditas compras, fui buscar o meu filhote ao infantário.

Chegados a casa, ainda trabalhei um bocado no PC, para agora fechar isto tudo e só abrir na segunda!!!!

 

 

11.12.08

Silêncio


Lila

Falo demais.

Sempre falei.

Na casa dos meus pais havia uma daquelas cassetes-cartucho com uma gravação minha a falar correctamente ( ou quase) com pouco mais de um ano.

Comecei cedo e nunca mais parei.

Na última semana, estive remetida ao silêncio a maior parte do tempo.

Não no trabalho, a minha actividade não o permite, mas em casa.

Li bastante, escrevi, vi televisão e falei muito pouco.

Atè me sinto menos cansada ao final do dia!

Efectivamente, o silêncio pode ser de ouro...