Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

14.03.10

Quinze anos de saudade


Lila

 Hoje é um dia difícil.

E podem achar que a cada ano que passa, é mais fácil, custa menos.

Mas estão enganados.

A quente, choramos, ficamos despedaçados, a nossa agonia desfaz-nos a vida.

Depois colamos os pedaços e seguimos em frente.

Mas á medida que o tempo passa, a ausência adensa-se.

Sufoca-nos.

E damos por nós a pensar que a vida tinha sido diferente, se ela ainda cá estivesse.

Que a vida que tenho hoje poderia ser mais feliz e mais fácil.

Isto não quer dizer que a nossa vida não ande.Que não tenhamos momentos muito felizes e muito alegres. Fazemos por isso, por nós e pelos outros.

O pior mal é sempre de quem parte.

 

Mas, com o passar dos anos, faz-me cada vez mais falta.

Faz-me falta o colo.

Faz-me falta o apoio nesta vida louca que agora levo.

Faz-me falta a avó do meu filho, colo único e especial também para ele. (embora não saiba)

Agora que a minha idade se aproxima a passos largos da idade que ela tinha quando nos deixou, a mágoa fica maior.

A revolta  torna-se gigante.

E a cada dia percebo que a minha personalidade se moldou  com este acontecimento, não necessariamente para melhor.

O meu desejo de hoje e de sempre é poder estar ao lado do meu filho, enquanto lhe poder valer.

 

Mãezinha, saudades.