Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

02.03.10

saudades


Lila

 

Hoje, uma cliente disse-me assim "Estou a dizer-lhe isto como se fosse minha filha..."

E eu respondi "E eu agradeço, que já não tenho mãe...".

Mas na verdade, só não a tenho fisicamente.

A sua presença faz-se sentir nas mais diversas ocasiões, a ela vou buscar forças, calma, discernimento para tomar dicisões e acertar.

Sonho muitas vezes com ela, e o mais curioso, é que nunca sonho com ela doente.

Deve ser alguma espécie de defesa minha, nunca percebi bem o porquê.

Hoje as saudades instalaram-se em mim. Uns dias sinto-as mais do que outros.

E quando tenho saudades, olho para esta foto.

É uma das minhas preferidas, porque é muito fiel á pessoa que era.

E aquela pulseira, toda a vida a vi na minha mãe, em dias especiais.

Olho para o meu filho e reconheço nele as bochechas da avó.

Nem ele sabe o quanto me faz lembrar a sua avó Carmen.

 

Desculpem, hoje estou uma lamechas.

 

1 comentário

Comentar post