Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos sem nó

As minhas histórias

Contos sem nó

As minhas histórias

13.01.21

46

Lila
Não estou muito satisfeita com o facto de já estar a fazer 46 anos sem ter aproveitado nada os 45. Mas parece que tem que ser. Apesar de tudo, tenho saúde, tenho uma família incrível e amigos fantásticos, tenho um trabalho que adoro. Sou uma sortuda!
11.01.21

A mim já não me apanham

Lila
Da última vez entrei em confinamento com mãos, pés, sobrancelhas e cabelo por arranjar. Desta vez já não me apanham desprevenida! Fui a correr na hora de almoço fazer pedicure, amanhã trato do cabelo e das sobrancelhas. À primeira caem todos, à segunda só cai quem quer. 
10.01.21

Caminhada

Lila
A antever já um confinamento geral para esta semana, hoje fizemos programa completo. Concerto as 11h da manhã, e caminhada na serra ao inicio da tarde, enquanto o sol ainda estava no auge. Agora já estamos outra vez de pijama, quentinhos, cada um nas suas actividades., velas acesas pela casa e chá no bule.
10.01.21

Concerto de Ano Novo

Lila
Para mim, o ano novo só começou hoje. Porque só hoje pudemos assistir ao concerto de ano novo, como fazemos todos os anos no dia 1 de Janeiro. Também não perdi grande coisa deste ano, por isso começo hoje. Este foi o programa, que sempre me faz chorar. E o maestro Sebastian Perłowski é sem duvida, inspirador (e uma brasa, meu Deus!).   S. Moniuszko Conto de Inverno, Abertura-Fantasia Josef Strauss Polca rápida Voando, Op. 230 J. Strauss II Valsa Rosas do Sul, Op. 388 G. (...)
09.01.21

Pieces of a woman

Lila
O filme desta tarde de confinamento. Não achei uma obra prima, mas é efectivamente um filme intenso e aborda um dos temas da actualidade, os partos em casa. Sempre fui completamente contra que se fizessem partos em casa, pondo em risco a vida das mães e dos bebés. Evoluímos tanto nas ultimas décadas para que os partos deixassem de ser feitos em condições de risco, para agora voltarmos ao mesmo. A taxa de mortalidade nos partos desceu abruptamente, precisamente porque passaram (...)
06.01.21

Quase a fazer anos...

Lila
Se há coisa que fui aprendendo com a idade, uma das mais importantes e que me dá mais qualidade de vida, é gerir as expectativas. Para algumas coisas, elas roçam o subsolo. E só assim não me desiludo, não fico triste, não desanimo. Custa a interiorizar, ainda não o faço para tudo, mas vale a pena! Uma das poucas coisas que a maturidade trouxe a esta sonhadora incorrigível. As vezes (...)