Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




25 de Abril

por Lila, em 25.04.10

Quando eu era pequena, o 25 de Abril tinha um significado especial. Não se tratava apenas de mais um feriado.

Tendo morado quase sempre numa freguesia comunista, as comemorações eram levadas á séria.

Havia fogos de artificio á meia noite, e durante todo o dia eram lançados morteiros, não fosse o pessoal se esquecer em que dia estava com o passar das horas. Enfeitavam-se as ruas.

Havia sempre bailarico na Sociedade  Recreativa e senhoras a distribuir cravos vermelhos.

Faziam-se actividades desportivas pela manhã e almoçaradas a seguir.

Os meus pais, invariavelmente, recordavam esses dias em 1974. A minha irmã mais velha só se lembrava de não ter ido é escola e de terem passado desenhos animados o dia todo na televisão a preto e branco.

Os meus pais tiveram medo que se instalasse uma guerra, frescos ainda do terror da colonial, onde o meu pai tinha prestado serviço militar e de onde regressara felizmente ileso. Ficaram colados ao rádio, á espera de noticias.

Os meses que se seguiram foram muito duros, com rusgas a casas de particulares, e especialmente á dos meus pais, já que o meu pai fora nomeado regedor da terra por essas alturas.

A minha mãe contava que, em 75, tinha eu acabado de nascer, a PIDE levou o meu pai a prestar declarações e pensaram que já não voltava.

Que ficava por lá preso, bastava que  alguém tivesse inventado e  feito alguma denuncia de que colaborava com o antigo regime (coisa que acontecia com a maior das facilidades porque se dava crédito aos bufos...) e ficaria a mofar na prisão como tantos outros, naquele clima de suspeita de tudo e de nada que então se vivia.

Sei que nesse dia, esta então recém nascida ia ficando sem leite materno, por causa dos nervos que assolaram a minha mãe.

No 25 de Abril da minha infância, os  meus pais faziam questão de que soubéssemos o que fora viver sem liberdade, no regime de Salazar.

Eu cresci com essa consciência, embora não fosse nascida na altura.

Mas tenho uma ligação forte ao 25 de Abril.

É que tendo nascido de tempo completo, em Janeiro de 1975, fui  concebida em Abril de 1974.

No calor da revolução.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D